sexta-feira, 10 de junho de 2016

Aula n°13 (Juventude): Quem foram Maria e José?

Aula nº: 13    CEC:  -   SERF: 13    
Data: 04.2014    e   27 / 04 / 2014

Tema: Quem foram Maria e José?

Atividade de Integração

Distribuir aos jovens o quebra-cabeça número 1 (José) (Anexo 1) para que tentem montar, quando terminarem perguntar de quem é aquela imagem. Provavelmente eles não saberão a resposta, em seguida distribuir o quebra-cabeça número 2 (Maria), terminado perguntar novamente quem são as pessoas da figura 2 e refazer a mesma pergunta para a figura 1.

Compartilhar: Perguntar aos jovens se sabem quem foram Fernando Correa, Isaac Póvoas, Coronel Escolástico, Galdino Pimentel (Nomes de ruas famosas em Cuiabá).  Existem muitos personagens importantes, que fazem parte da nossa história, que já ouvimos falar mas não sabemos quem são. E o que sabemos sobre Maria e José? Os pais de Jesus, almas responsáveis por, fisicamente trazer à Terra o Mestre, e conduzir os primeiros passos de Jesus para que, assim, pudesse cumprir sua missão? Explicar que aprenderemos nessa aula, um pouco sobre essas duas almas que, resignadas, aceitaram tamanha tarefa.

Sugestão para aplicação do conteúdo


1°. Momento:
Dividir a turma em 3 grupos e pedir que cada um leia uma parte do anexo 2, sendo que o Grupo 1 deverá encenar seu texto, o grupo 2 preparar uma apresentação oral (palestra) e o grupo 3 um cartaz (material didático) para explicar seu conteúdo ao resto da turma.

2°. Momento:
Apresentação de cada grupo.

3°. Momento: Esclarecimentos necessários com auxílio dos subsídios ao educador.

4°. Momento: Colocar para os jovens ouvirem “ 7 minutos com Emmanuel” , trabalho de Haroldo Dutra, José da Galileia (Anexo 3)
Ouça aqui  7 Min.com Emmanuel - José da Galileia>>


5°. Momento: Finalizar cantando a música "Meu bom José" (Anexo 4).

Texto:

10´ - atividade de integração
20´ - 1º. Momento
15´ - 2º. Momento
05´ - 3º. Momento
07´  -4º. Momento
03´  -3º. Momento

Material:
Quebra-cabeças recortados (anexo 1)
Cópias do anexo 2 e 4
Cartolina, canetinhas, lápis e caneta
Aparelho de som com o áudio "7 minutos com José"

Fonte de consulta:
Chico Xavier pelo espírito Humberto de Campos - A Boa Nova


Anexo 1- Quebra-cabeças


Anexo 2 - Grupos

GRUPO 1
GRUPO 2

GRUPO 3 

GRUPO 4


Anexo 3– Música: Meu Bom José
Rita Lee

Olha o que foi meu bom José
Se apaixonar, pela donzela
Dentre todas a mais bela
De toda sua galileia
Casar com Débora ou com Sara
Meu bom José, você podia
E nada disso acontecia
Mas você foi amar Maria
Você podia simplesmente
Ser carpinteiro e trabalhar
Sem nunca ter que se exilar
De se esconder, com Maria
Meu bom José você podia
Ter muitos filhos com Maria
E teu ofício ensinar
Como o teu pai sempre fazia
Por que será, meu bom José
Que esse teu pobre, filho um dia
Andou com estranhas idéias
Que fizeram, chorar Maria
Me lembro as vezes de você
Meu bom José, meu pobre amigo
Que desta vida só queria
Ser feliz com sua Maria

SUBSÍDIOS AO EDUCADOR

Todas as religiões cristãs reverenciam, com extremo carinho e profunda gratidão, a figura ímpar de Maria de Nazaré, a sublime mãe de Jesus.
No Espiritismo doutrina que se assenta em bases científicas, filosóficas e religiosas, sendo que, nesta última , como Cristianismo redivivo, caracteriza o Consolador prometido por Jesus – também aprendemos a reconhecer em Maria uma Entidade evoluidíssima , que já havia conquistado, há 2000 anos , elevados virtudes , tornando-se apta a desempenhar na crosta
terrestre tão elevada missão , recebendo em seus braços o Emissário de Deus que se fez menino para se transformar “no modelo da perfeição moral que a Humanidade pode pretender sobre a Terra”(1).
Além do que se conhece nas antigas tradições religiosas , especialmente no Novo Testamento, encontramos na literatura espírita outros importantes dados biográficos da Maria, que vieram até nós por via mediúnica, naturalmente extraídos de arquivos fidedignos do Mundo Espiritual, revelando-nos que Ela continua até hoje zelando com muito carinho pela Humanidade terrestre, encarnada e desencarnada.


PREPARATIVO E INÍCIO DA MISSÃO
Conta-nos Emmanuel que, precedendo a vinda de Jesus , entidades angélicas se movimentaram, tomando vastas e importantes providencias no Plano Espiritual.
‘Escolhem-se os instrutores os precursores imediatos, os auxiliares divinos. Uma atividade única registra-se, então , nas esferas mais próximas do planeta (..)
Com a chegada do Mestre “a manjedoura assinalava o ponto inicial da lição salvadora de Cristo, como a dizer que a humildade representa a chave de todas as virtudes (..). Debalde os escritores materialista de todos os tempos vulgarizaram o grande acontecimento, ironizando os altos fenômenos mediúnicos que o precederam. As figuras de Simão, Ana, Isabel, João
Batista, José, bem como a personalidade sublimada de Maria , têm sido muitas vezes objeto de observação injustas e maliciosas, mas a realidade é que somente com o concurso daqueles mensageiros da Boa Nova, portadores da contribuição de fervor , crença e vida , poderia Jesus lançar na Terra os fundamentos da verdade inabalável(2)



PRIMEIROS TEMPOS. DRAMA DO CALVÁRIO E MUDANÇAS PARA ÉFESO
O Espírito de Humberto de Campos narra, num de seus livros, a importante visita que Isabel e seu filho João Batista fizeram ao lar de Jesus, em Nazaré, propiciando oportuno encontro entre as duas crianças que revolucionariam o Mundo.
O diálogo entre as duas primas é muito significativo, revelando-se perfeitamente preparadas para a sublime tarefa, como veremos neste pequeno trecho:
“- o que me espanta – dizia Isabel com caricioso sorriso – é o temperamento de João , dado às mais fundas meditações, apesar da sua pouca idade.
(..) – Essas crianças, a meu ver – respondeu-lhe Maria, intensificando o brilho suave de seus olhos – trazem para a humanidade a luz divina de um caminho novo. Meu filho também é assim, envolvendo-me o coração numa atmosfera de incessantes cuidados. Por vezes, vou encontrá-lo a sós, junto das águas, e, de outras , em conversação profundas com os viajantes que demandam a Samaria ou as aldeias mais distantes , nas adjacências do lago. Quase sempre, supreendo-lhe a palavra caridosa que dirige às lavadeiras, aos transeuntes , aos mendigos sofredores. Fala de sua comunhão com Deus com uma eloquência que nunca encontrei nas observações dos nossos doutores e, constantemente, ando a cismar, em relação ao seu destino.”
Nesse mesmo livro, Humberto de Campos dedica o derradeiro capítulo a Maria, descrevendo a suas impressões intimas diante do filho crucificado …a sua curta estadia em Batanéa…a mudança, com João Evangelista, para Éfeso, onde “estabeleceriam um pouso e refúgio aos desamparados, ensinariam as verdades do Evangelho a todos os espíritos de boa vontade e, como mãe e filho, iniciaria uma nova era de amor, na comunidade universal”
De fato, “a casa de João, ao cabo de algumas semanas, se transformou num ponto de assembléias adoráveis (…) Maria externava as suas lembranças. Falava dele com maternal
enternecimento, enquanto o apóstolo comentava as verdades evangélicas, apreciando os ensinos recebidos. E não foi só. Decorridos alguns meses, grandes fileiras de necessitados acorriam ao sítio singelo e generoso(….) Sua choupana era, então, conhecida pelo nome de Casa da Santíssima (..) Eram velhos trôpegos e desenganados do mundo, que lhe vinham
ouvir as palavras confortadoras e afetuosas, enfermos que invocavam a sua proteção, mães infortunadas que pediam a benção de seu carinho ( 3 ).



OUTROS TRABALHOS NO MAIS ALÉM
Em belíssima e comovente poesia, intitulada “Retrato de Mãe”, Maria Dolores descreve a assistência maternal e efetiva prestada pelo Espírito de Maria a Judas, que se encontrava em região umbralina, cego e solitário, muito tempo depois da crucificação do Mestre.
No final do dialogo com o discípulo suicida, em grande sofrimento, preso a terrível remorso, a benfeitora convence-o argumentando com profundo amor:
“Amo-te, filho meu, amo-te e quero Ver-te, de novo, a vida Maravilhosamente revestida
De paz e luz, de fé e elevação..
Virás comigo à Terra,
Perderás, pouco a pouco, o ânimo violento,
Terás o coração
Nas águas de bendito esquecimento
Numa nova existência de esperança ,
Levar-te-ei comigo
A remansoso abrigo,
Dar-te-ei outra mãe! Pensa e descansa!..

E Judas, neste instante,
Como quem olvidasse a própria dor gigante
Ou como quem se desagarra
De pesadelo atroz,
Perguntou: – quem sois vós
Que me falais assim, sabendo-me traidor?
Sois divina mulher, irradiando amor
ou anjo celestial de quem pressinto a luz?!…
No entanto, ela a fitá-lo, frente a frente,
Respondeu simplesmente:
- Meu filho, eu sou Maria, sou a mãe de Jesus”(6)


No livro mediúnico Memórias de um Suicida inteiramo-nos da notável e completa assistência aos suicidas em profundo sofrimento no Além , pela Legião dos Servos de Maria, “chefiada pelo grande Espírito Maria de Nazaré, ser angélico e sublime que na Terra mereceu a missão honrosa de seguir, com solicitudes maternais. Aquele que foi o redentor dos homens!”
Um setor muito importante da assistência aos suicidas é a Cidade Universitária, que abriga as entidades com alta do Departamento Hospitalar e, naturalmente, aptas para frequenta-la. O diretor dessa Cidade, Irmão Sóstenes ao receber um novo grupo de aprendizes, assim explicou-lhes a sua origem “Maria, sob o beneplácito de seu Augusto Filho, ordenou sua criação para que vos fosse proporcionada ocasião de preparativos honrosos para a reabilitação indispensável. Encontrareis no seu amor de mãe sustentáculo sublime para venceres o negror dos erros que vos afastaram das pegadas do Grande Mestre a quem deveis antes amor e obediência! Espero que sabereis compreender com inteligência as vossas próprias necessidades…”
Em outro passo da obra , um Mentor esclarece :”Geralmente, porém, os avisos e as ordens vêm de Mais Alto…. de lá, onde pira a assistência magnânima da piedosa Mãe da Humanidade, a governadora de nossa Legião … Se as entidades em apreço não pertencem à sua tutela direta de Guardiã, poderá o Guardião da falange ou da legião a que pertencerem implementar o seu favor em prol dos transviados, seu amoroso concurso para o alvo a ser colimado, porquanto a existe fraterna solidariedade entre as várias agremiações do
Universo Sideral, infinitamente mais perfeitas que as existentes entre as nações físico-terrenas..(…) No entanto , se a outra eminente Espírito for dirigida súplica, será esta encaminhada a Maria e seguir-se-ão as mesma providências, pois, como vimos afirmando, é Maria a sublime acolhedora dos réprobos que se arrojaram aos temerosos abismo da morte voluntária… Tudo isso, porém não quererá certamente dizer que nossa excelsa Diretora
precisará esperar súplicas s pedidos de quem quer que seja a fim de tomar suas caridosas providências! Ao contrário, essas foram perenemente tomadas, com a manutenção dos postos de observação e socorro especiais para suicidas;”
Ao apresentar o destacado educador Aníbal aos novos alunos, irmão Sóstenes prestou-lhes importante informação nestes termos:”(…)É que Aníbal presto-lhes vinha sendo, para isso, preparado desde eras afastadas!(…)…Até que um dia glorioso para seu espírito de servo fiel e
amoroso, ordem direta desceu das altas esferas de luz, como graça concedida por tantos séculos de abnegação e amor “- Vai, Aníbal…e dá dos teus labores à Legião de Minha Mãe com Meus ensinamentos, que tanto prezas os que mais destituídos de luzes e de forças encontrares, confiados aos teus cuidados
… Pensa, de preferência, naqueles cujas mentes hão desfalecido sob as penalidades do suicídio … Entreguei-os, de há muito, à direção de Minha Mãe, porque só a inspiração maternal será bastante caridosa para erguê-los para Deus!…


LUCAS RECEBE INFORMAÇÕES DE MARIA PARA FUNDAMENTAR O SEU EVANGELHO
Segundo narrativa de Emmanuel, o Apostolo Paulo, ao visitar Éfeso, atendendo insistentes chamados de João, para promover a fundação definitiva da igreja cristã naquela cidade “com delicadeza extrema, visitou a Mãe de Jesus na sua casinha singela, que dava para o mar . Impressionou-se fortemente com a humildade daquela criatura simples e amorosa, que mais se assemelhava a um anjo vestido de mulher. Paulo de Tarso interessou-se pelas suas narrativas cariciosas, a respeito da noite do nascimento do Mestre, gravou no íntimo suas divinas impressões e prometeu voltar na primeira oportunidade, a fim de recolher os dados indispensáveis ao Evangelho que pretendia escrever para os cristãos do futuro. Maria colocou-se à sua disposição, com grande alegria”.
Numa próxima viagem , a caminho da Palestina pela última vez, Paulo de Tarso também passou, rapidamente, por Éfeso e “a própria Maria , avançada em anos, acorrera de longe em companhia de João e outros discípulos, para levar uma palavra de amor ao paladino intimorato do Evangelho de seu Filho”
E mais tarde, quando o Apóstolo dos gentios esteve preso, por dois anos, em Cesaréia, aproveitou esse período para manter relações constantes com as suas igreja. “A esse tempo, o ex-doutor de Jerusalém chamou a atenção de Lucas para o seu velho projeto de escrever uma biografia de Jesus, valendo-se das informações de Maria, lamentou não poder ir a Éfeso,
incumbindo-se desse trabalho, que reputava de capital importância para os adeptos do Cristianismo. O médico amigo satisfez-lhe integralmente o desejo, legando à posteridade o precioso relato da vida do mestre, rico de luzes e esperanças divinas. ( 5)



RETRATO DE MARIA
Algum tempo tomamos conhecimento de um novo quadro de Maria, a Mãe de Jesus, divulgado num programa da TV Record, de São Paulo, com a presença de Francisco Cândido Xavier, procuramos esse médium amigo para colher dele maiores esclarecimentos sobre a origem do mesmo.
Contou-nos, então, Chico Xavier, no final da reunião pública do Grupo Espírita da Prece, em Uberaba, na noite de 1º de dezembro de 1984, que com vistas às homenagem do Dia das Mães de 1984, o Espírito de Emmanuel ditou, por ele, um retrato falado de Maria de Nazaré ao fotógrafo Vicente Avela, de São Paulo. Esse trabalho artístico foi sendo realizado aos poucos, desde meados de 1983, com retoques sucessivos realizados pela grande habilidade de
Vicente, em mais de vinte contatos com o médium mineiro, na Capital paulista.
Em nossa rápida entrevista, Chico frisou que a fisionomia de Maria assim retratada, revela tal qual Ela é conhecida quando de Suas visitas às esferas espirituais mais próximas e perturbadas da crosta terrestre; como por exemplo, disse-nos ele, na Legião dos Servos de Maria, grande instituição de amparo aos suicidas descrita detalhadamente no livro Memórias
de um Suicida, recebido mediunicamente por Yvonne A. Pereira.

E, ao final do diálogo fraterno, atendendo nosso pedido, Chico forneceu-nos o endereço do fotógrafo-artista, para que pudéssemos entrevistá-lo oportunamente, podendo assim registrar mais algum detalhe do belo trabalho realizado.

De fato, meses após essa entrevista, tivemos o prazer de conhecer o Sr.
Vicente Avela, em seu próprio ateliê , há 30 anos localizado na Rua Conselheiro Crispiniano, 343, 2 º andar, na Capital paulista, onde nos recebeu atenciosamente.
Confirmando as informações do médium de Uberaba ele apenas destacou que, de fato, não houve pintura e sim um trabalho basicamente fotográfico, fruto de retoques sucessivos num retrato falado inicial, tudo sob a orientação mediúnica de Chico Xavier.
Quando o Sr. Vicente Concluiu a tarefa, com a arte final em pequena foto branco-e-preto, ele a ampliou bastante e coloriu-a com tinta a óleo trabalho em que é perito, com experiência adquirida na época em que não havia filmes coloridos e as fotos em preto-e-branco eram coloridas a mão), dando origem à tela que foi divulgada.
Nesse encontro fraterno, também conhecemos o lindo quadro original à vista em parede de seu escritório , e ao despedirmo-nos, reconhecidos pela atenção , o parabenizamos por esse árduo e excelente trabalho, representando mais uma NOTÍCIAS da vida espiritual de Maria de Nazaré, que continua amparando com imenso amor maternal a Humanidade inteira.

Texto extraído do Anuário Espírita de 1986 Nº 23 – Órgão do IDE – Instituto de Difusão Espírita Autor : Hércio M. C. Arantes


Maria


AVE MARIA! SENHORA

DO AMOR QUE AMPARA E REDIME,
AI DO MUNDO SE NAO FORA
A VOSSA MISSAO SUBLIME !

CHEIA DE GRAÇA E BONDADE,
É POR VÓS QUE CONHECEMOS
A ETERNA REVELAÇAO
DA VIDA EM SEUS DONS SUPREMOS.

O SENHOR SEMPRE É CONVOSCO,
MENSAGEIRA DA TERNURA ,
PROVIDENCIA DOS QUE CHORAM
NAS SOMBRAS DA DESVENTURA

BENDITA SOIS VÓS , RAINHA!
ESTRELA DA HUMANIDADE,
ROSA MISTICA DA FÉ,
LÍRIO PURO DA HUMILDADE!

ENTRE AS MULHERES SOIS VÓS
A MAE DAS MAES DESVALIDAS,
NOSSA PORTA DE ESPERANÇA,
E ANJO DE NOSSAS VIDAS!

BENDITO O FRUTO IMORTAL
DA VOSSA MISSAO DE LUZ
DESDE A PAZ DA MANJEDOURA,
AS DORES, ALEM DA CRUZ.

ASSIM SEJA PARA SEMPRE,
OH! DIVINA SOBERANA,
REFUGIO DOS QUE PADECEM
NAS DORES DA LUTA HUMANA.


AVE MARIA! SENHORA
DO AMOR QUE AMPARA E REDIME
AI DO MUNDO SE NAO FORA
A VOSSA MISSAO SUBLINE


EXTRAIDO DO LIVRO PARNASO DE ALEM TUMULO - FRANCISCO CANDIDO XAVIER - POETA AMARAL ORNELLAS


A DESENCARNAÇÃO E SEU PRIMEIRO TRABALHO NO MUNDO MAIOR


Extraído do Livro Boas Novas – Humberto de Campos

Elevada nas suas meditações, Maria viu aproximar-se o vulto de um pedinte.
- Minha mãe – exclamou o recém chegado, como tantos outros que recorriam ao seu carinho – venho fazer-te companhia e receber a tua benção.
Maternalmente, ela o convidou a entrar, impressionada com aquela voz que
lhe inspirava profunda simpatia . O peregrino lhe falou do céu,
confortando-a delicadamente. Comentou as bem-aventuranças divinas que aguardam a todos os devotados e sinceros filhos de Deus, dando a entender que lhe compreendia as mais ternas saudades do coração. Maria sentiu-se empolgada por tocante surpresa. Que mendigo seria aquele que lhe acalmava as dores secretas da alma saudosa, com balsamos tão dulçorosos? Nenhum lhe surgira até então para dar; era sempre para pedir alguma coisa . No entanto, aquele viandante desconhecido lhe derramava no intimo as mais santas consolações. Onde ouvira noutros tempos aquela voz meiga e caridosa?! Que
emoções eram aquelas que lhe faziam pulsar o coração de tanta caricia? Seus
olhos se umedeceram de ventura, sem que conseguisse explicar a razão de sua
terna emotividade.
Foi quando o hospede anônimo lhe estendeu as mãos generosas e lhe falou com profundo acento de amor:
- Minha mãe, vem aos meus braços…………
A alvorada desdobrava o seu formoso leque de luz quando aquela alma eleita se elevou da Terra, onde quantas vezes chorava de júbilo, de saudade e de esperança. Não mais via seu filho bem-amado que certamente a esperaria, com boas-vindas, no seu reino de amor; mas, extensas multidões de entidades angélicas a cercavam cantando hinos de glorificação.
Experimentando a sensação de se estar afastando do mundo, desejou rever a
Galiléia com os seus sítios preferidos. Bastou a manifestação de sua vontade para que a conduzissem à região do lago de Genesaré, de maravilhosa beleza . Reviu todos os quadros do apostolado de seu filho e, só agora, observava do alto a paisagem , notava que o Tiberíades, em seus contornos suaves , apresentava a forma de uma alaude . Lembrou-se, então, de que naquele instrumento da Natureza Jesus cantara o mais belo poema de vida e amor , em homenagem a Deus e à humanidade . Aquelas águas mansas, filhas do
Jordão maravilhoso e calmo, haviam sido as cordas sonoras do cântico evangélico.
Dulcíssimas alegrias lhe invadiam o coração e já a caravana espiritual se dispunha a partir , quando Maria se lembrou dos discípulos perseguidos pela crueldade do mundo e desejou abraçar os que ficariam no vale das sombras, à espera das caridades definitivas do Reino de Deus. Emitindo esse pensamento, imprimiu novo impulso as multidões espirituais que a seguiam de perto. Em poucos instantes, seu olhar divisava uma cidade soberba e maravilhosa , espalhada sobre colinas enfeitadas de carros e monumentos que
lhe provocavam assombro. Os mármores mais ricos esplendiam nas magnificentes
vias públicas, onde as liteiras patrícias passavam sem cessar, exibindo pedrarias e peles,
sustentados por misérrimos escravos. mais alguns momentos seu olhar descobria outra multidão guardada a ferros nos escuros calabouços. Penetrou os sombrios cárceres do Esquilino, onde centenas de rostos amargurados retratavam padecimentos atrozes. Os condenados sentiram no coração um consolo desconhecido.
Maria se aproximou de um a um, participou de suas angustias e orou com as suas preces, cheias de sofrimento e confiança . Sentiu-se mãe daquela assembléia de torturados pela injustiça do mundo. Espalhou a claridade misericordiosa de seu espírito entre aquelas fisionomias pálidas e tristes.
Eram anciães que confiava no Cristo, mulheres que por ele haviam desprezado o conforto do lar , jovens depunham no Evangelho do Reino toda a sua esperança. Maria aliviou-lhes o coração e, antes de partir sinceramente desejou deixar-lhe nos espíritos abatidos uma lembrança perene. Que possuía para lhes dar? Mas Jesus ensinara que com ele todo o jugo é suave e todo o fardo seria leve, parecendo-lhe melhor a escravidão com Deus do que a falsa liberdade nos desvãos do mundo. Recordou que seu filho deixara a força da
oração como um poder incontrastável entre os discípulos amados. Então rogou ao Céu que lhe desse a possibilidade de deixar entre os cristãos oprimidos a força de alegria. Foi quando, aproximando-se de uma jovem encarcerada, de rosto descarnado e macilento, lhe disse ao ouvido.

-Canta minha filha! Tenhamos bom ânimo!…
Convertamos as nossas dores da Terra em alegria para o Céu…
Ä triste prisioneira nunca saberia compreender o porquê da emotividade que lhe fez vibrar subitamente o coração . De olhos extáticos, contemplado o firmamento luminoso, através das grades poderosas, ignorando a razão de sua alegria, cantou um hino de profundo e enternecido amor a Jesus em que traduzia sua gratidão pelas dores que lhe eram enviadas, transformando todas as suas amarguras em consoladoras rimas de júbilo e esperança. Daí a instantes, seu canto melodioso era acompanhado pelas centenas de vozes dos que choravam no cárcere, aguardando o glorioso testemunho.
Logo a caravana majestosa conduziu ao Reino do Mestre a bendita entre as mulheres, desde este dia, nos tormentos mais duros, os discípulos de Jesus têm cantado na terra, exprimindo o seu bom ânimo e a sua alegria, guardando a suave lembrança de nossa Mãe Santíssima…
Por essa razão , irmãos meus, quando ouvirdes o cânticos nos templos das diversas famílias religiosas do Cristianismo, não vos esqueçais de fazer no coração um brando silencio, para que a rosa Mística de Nazaré espalhe ai o seu perfume!


Quando da visita de estudos sobre a lei de causa e efeito ao templo da “Mansão Paz” importante instituto de reajuste localizado nas regiões inferiores, os Espíritos André Luiz e Hilário colheram valiosas observações.
Ao analisar o caso de uma veneranda senhora que orava fervorosamente, invocando a proteção de Mãe Santíssima pêlos filhos transviados, receberam do instrutor Silas a seguinte elucidação: “- Isso , contudo , não significa que a prece esteja sendo respondida por ela mesma. Petições semelhantes a esta elevam-se a planos superiores e ai são acolhidos pêlos emissários da Virgem de Nazaré, a fim de serem examinadas e atendidas, conforme o critério da verdadeira sabedoria (6)



BIBLIOGRAFIA
1- Kardec, Allan – O Livro dos Espíritos 26 ed. trad. Salvador gentile ide , 1985 q 625.
2- Xavier, Francisco Candido, Espírito Emmanuel – A caminho da Luz 13 ed. , FEB, 1985 cap11-12 p.104-106, 3 – Xavier, F.C. Esp. Humberto de Campos – Boa Nova 15 ed. ed. FEB, 1984, cap. 2 p. 20-21 e cap,30,p201-202
4- Idem cap. 30 , p 208. 5-Xavier,F.C.Esp. Emmanuel -Paulo e Estevão 21 ed. FEB, 1984, p. 433-434,
451e482. 6- Xavier, F.C. Espíritos Diversos – Momentos de Ouro 1 ed. GEEM, 1977, cap. 3
7- Pereira, Ivone A. – Memórias de um Suicida . 12 ed. , FEB, 1985, p 57, 221-222, 416 e 427-428.
8- Xavier , F.C. Espírito André Luiz – Ação e Reação, 10 ed. FEB, 1985, cap. 11 p 158

Site: http://chico-xavier.com/2011/05/06/noticias-de-maria-santissima/


E A VIRGINDADE DE MARIA? A virgindade perene de Maria, defendida pelos teólogos medievais, mesmo os mais ilustres como Agostinho e Tomás de Aquino, entranhou-se de tal forma na mente popular que se incorporou ao seu nome. Os fiéis evocam a Virgem Maria. No entanto, a virgindade da mãe de Jesus, que teria sido preservada mesmo depois do parto, contraria os textos evangélicos, onde está registrado que ela teve outros filhos. Em Mateus (13:53-56) diz o povo, em Nazaré, onde Jesus acabara de fazer uma pregação: Não é este o filho do carpinteiro? Sua mãe não se chama Maria, e seus irmãos não são Tiago, José, Simão e Judas? E suas irmãs, não moram conosco? Então, de onde vem tudo isso? Pretendem os teólogos que os enunciados irmãos de Jesus eram primos ou, então, filhos de um primeiro casamento de José. Mera especulação. Por outro lado, Lucas foi o único evangelista a registrar o episódio da anunciação. Médico grego, discípulo do apóstolo Paulo, não conviveu com Jesus. Escreveu seu Evangelho com base na tradição oral ( transmissão oral de fatos ), décadas mais tarde. Jesus tornara-se uma figura mitológica, e nada melhor para exaltar o homem mito do que situá-lo como filho de uma virgem. Outro motivo ponderável para que se optasse pela virgindade de Maria: o sexo.
O simbolismo sobre o suposto pecado cometido por Adão e Eva resultou na perda do paraíso, como encontra-se no Livro Gênese, do Velho Testamento. Sexo, portanto, era sinônimo de pecado. Os casais eram orientados a buscar a comunhão carnal apenas com o objetivo de procriação. Os teólogos, buscavam fórmulas para que o sexo, que não podiam proibir, sob pena de extinguirem a raça humana, fosse minimizado na vida familiar e exercitado não como parte da comunhão afetiva, mas exclusivamente para a procriação.

http://grupoallankardec.blogspot.com.br/2010/01/quem-e-maria-para-os-espiritas.html



JOSÉ DA GALILÉIA

“E projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: – José, filho de David, não temas receber a Maria.”– Mateus 1:20



Em geral, quando nos referimos aos vultos masculinos que se movimentam na tela gloriosa da missão de Jesus, atendemos para a precariedade dos seus companheiros, fixando, quase sempre, somente os derradeiros quadros de sua passagem no mundo.

É preciso, porém, observar que, a par de beneficiários ingratos, de ouvintes indiferentes, de perseguidores cruéis e de discípulos vacilantes, houve um homem integral que atendeu a Jesus, hipotecando-lhe o coração sem macula e a consciência pura.

José da Galiléia foi um homem tão profundamente espiritual que seu vulto sublime escapa às analises limitadas de quem não pode prescindir do material humano para um serviço de definições.

Já pensaste no cristianismo sem ele?

Quando se fala excessivamente em falência das criaturas, recordemos que houve tempo em que Maria e o Cristo foram confiados pelas Forças Divinas a um homem.

Entretanto, embora honrado pela solicitação de um anjo, nunca se vangloriou de dádiva tão alta.

Não obstante contemplas a sedução que Jesus exercia sobre os doutores, nunca abandonou a sua carpintaria.

O mundo não tem outras notícias de suas atividades senão aquelas de atender às ordenações humanas, cumprindo um édito de César e as que no-lo mostram no templo e no lar, entre a adoração e o trabalho.

Sem qualquer situação de evidencia, deu a Jesus tudo quanto podia dar.

A ele deve o cristianismo à porta da primeira hora, mas José passou no mundo dentro do divino silêncio de Deus.

Emmanuel/ Chico Xavier Livro: Levantar e Seguir


http://www.portalser.org/destaque/sete-minutos-com-emmanuel-002/



 
Baixe os arquivos desta aula (google drive)
Audios:






<< Home              Aulas-juventude>>