quinta-feira, 6 de março de 2014

Teatro de fantoches: A Parábola do bom Samaritano

Hoje, nós gostaríamos de contar-lhes uma história, que  possivelmente vocês já conheçam. Mas isso não tem importância,  pois é uma história maravilhosa!  Jesus contou-a aos seus discípulos e começou assim...

Narrador:  Era uma vez um homem que descia de Jerusalém para Jericó. 
Nessa estrada, o homem atravessou também  uma floresta e, de repente,  saltaram à sua frente, bandidos que estavam escondidos atrás de um esconderijo.
Os ladrões (muito maldosos e olhando lentamente para ele ): - O que você tem aí? 

O homem (tremendo de medo):  - Eu não tenho nada!  - Por favor, deixem-me ir embora.
 Narrador: Os ladrões não ficaram nada satisfeitos com a resposta e arrancaram a mochila do homem.  A seguir, o espancaram com um pedaço de pau, deixando o homem meio morto no chão. 

O homem gemia no chão. 

Narrador: Após algum tempo, passou um sacerdote. Ele viu o homem deitado  à margem do caminho, e mudou de direção, andando pelo outro lado da estrada e seguindo adiante.

Sacerdote:  De novo um bêbado em plena luz do dia!

Narrador: Mais tarde, passou um funcionário do templo. Mas, ao ver o homem deitado, também passou adiante .

Funcionário do Templo: Eu não tenho tempo, não tenho tempo!!!

Narrador: Então passou um samaritano.  Ao ver o homem ferido, sentiu compaixão dele e tratou de seus ferimentos com azeite e vinho, e os enfaixou.  Então, colocou-o na sua própria montaria e levou-o para uma hospedaria, e tratou dele. 

Hospedagem / Hospedeiro: Bom dia! Em que posso ajudá-lo? 

Samaritano: Este homem está ferido e precisa de ajuda. Cuida dele até que recupere a saúde e se o dinheiro não for suficiente, vou lhe restituir o restante  em meu regresso.

Hospedeiro:  Não se preocupe! Nós iremos cuidar dele!

Samaritano: Muito obrigado!

Narrador: Assim contou Jesus e perguntou: - Qual dos três parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos ladrões?

Deixar o público responder.

Narrador: Exatamente, o samaritano! Então, vamos e façamos o mesmo!



Adaptação e redação: DIJ – GEEAK Vorarlberg
Tradução p/ português: Arlete Länzlinger